Transportadores semi-colectivos de passageiros agastados por falta de terminais rodoviários

Transportadores semi-colectivos de passageiros agastados por falta de terminais rodoviários

Por Júlio Assane

A situação vem sendo verificada há bastante tempo, sob olhar impávido das autoridades que tutelam esta área.

Grande parte das terminais rodoviárias são improvisados nas bermas das avenidas e ruas da urbe, facto que contribui para o congestionamento do trânsito e acidentes de viação.

Como exemplo desses locais, está a terminal improvisada em frente dos CFM, padaria Nampula, Clube 5 (Petrona) e por fim, o mercado grossista do Waresta onde a cada dia, milhares de pessoas perdem os seus bens por conta de falta de segurança desses locais onde se dirigirem para chegar aos seus destinos finais.

Por esse motivo, os transportadores que realizam suas actividades em algumas terminais de passageiros, sobretudo Moma e Angoche, por exemplo, procuram vias alternativas nas ruas e avenidas da capital norte do país para estacionar os seus veículos.

Cientes do risco que correm, os automobilistas pedem uma intervenção imediata, das autoridades que superintendem esta área para regularizar este problema que é de falta de terminais rodoviários.

Contactado telefonicamente Luís Vasconcelos, Presidente da Associação dos transportadores rodoviários desta província, prometeu pronunciar-se sobre o assunto oportunamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

shares