COMENTÁRIO DAS LEITURAS DO SEGUNDO DOMINGO DO TEMPO COMUM

COMENTÁRIO DAS LEITURAS DO SEGUNDO DOMINGO DO TEMPO COMUM

*Reflexão da Palavra*

Tema: *Chamamento, escuta, resposta e envio do Senhor*

As preocupações da vida e o barulho do mundo poderão nos tornar surdos e cegos ao ponto de não ouvirmos o chamado do Senhor nem vermos os sinais dos tempos e as necessidades de respondermos urgentemente ao apelo do Senhor.

Nas ruas encontramos jovens e outros desempregados atentos para ouvir e ver algum anúncio de vagas.

O que temos que nos questionar é, por que ninguém procura algum anúncio para fazer parte da missão evangelizadora? Por que a Igreja não opta por anúncios em busca de trabalhadores da messe? Quais são as dificuldades para os jovens aderirem aos projectos do Mestre?
O que as famílias dão prioridade, ver os filhos formados e se tornarem funcionários públicos e bem remunerados ou ver seus filhos sendo missionários, leigos consagrados num único propósito de anúncio da Palavra de Deus?

Se a única preocupação é ver os filhos todos formados em universidades de qualidade e com bons empregos, quem irá responder o chamado do Senhor para a sua messe?

A liturgia da Palavra deste domingo nos interpela com o tema de chamado, escuta e disponibilidade em responder ao Senhor.

Samuel, na primeira leitura, passou toda noite atento até descobrir que o Senhor o chamava.
No Evangelho, o autor narra o chamamento dos primeiros discípulos de Jesus.

Para mais aprofundamento da Palavra de Deus, neste Segundo Domingo do Tempo Comum, Ano B, apresento um caminho que poderá nos ajudar a refletir e tomar novas decisões a respeito da nossa vocação na Igreja.

*1. Chamamento e escuta*

A iniciativa de chamar alguém é de Deus. Ele está interessado em contratar alguns funcionários e funcionárias para sua empresa.
O Senhor não está querendo Qualificações nem Competências. O que mais quer é a atenção da pessoa para escutar o chamado. Repito, deve haver muita atenção porque o mundo está cada vez mais insuportável devido às inúmeras propostas e vozes em cada canto que aparentemente são atrativas.

Cada família cristã deve iniciar e insistir conversar sobre a vocação de cada integrante da casa. Deve haver provocações e sugestões para que as crianças e adolescentes atinjam a idade da maturidade cientes de que há muitas portas abertas e são livres em responder a uma vocação na qual ao entrar serão felizes.

Escutar a voz de Deus implica compreender que pelo Baptismo, o cristão é um potencial discípulo e missionário de Cristo. Porém, deve haver uma constante atenção para perceber como irá se realizar essa missão.

Não se trata de todos serem padres e irmãs. O que pretendo advertir é a necessidade de escuta o que o Senhor quer para cada um e cada uma.

Abra os seus ouvidos, seu coração para entender o chamado de Deus que tem uma proposta para ti. Nunca se faça de surdo porque a missão é de todos nós. A hora é agora e em cada lugar onde cada um se encontra.

*2. Resposta e Envio do Senhor*

A indiferença é um dos grandes males da actualidade e isso enfraquece a Igreja, pois há tendência de pensar que quando o Senhor chama quem deve responder é o outro.

A resposta acontece quando há disponibilidade e prontidão de cada cristão que deseja ver a sua Igreja com muitos catequistas, muitos jovens atuando em diversas pastorais, muitas famílias vivendo os sacramentos principalmente, através do compromisso do Matrimónio e consagração a Deus.

A crise vocacional tem origem na sociedade porque muitos não querem nenhum compromisso com ninguém nem com a própria vida.

As poucas pessoas que querem se comprometer aparecem vozes querendo desvia-las.
Ver hoje, por exemplo, um jovem e uma jovem se amando para um dia contrariem matrimónio, pode ser motivo de zombaria como se eles tivessem cometido algum crime. O óbvio é colocado como absurdo.

Algumas pessoas têm coragem de chamar a uma linda jovem vocacionada a vida religiosa consagrada como um desperdício, perda de tempo. Mas ao mesmo tempo, admiram ver muitas freiras dedicadas aos diversos projectos de evangelização e sociais como a Educação e Saúde.

Se tu não podes dar resposta ao chamado de Deus, no mínimo não atrapalhe aos chamados e que querem dar resposta.

O Senhor quer ouvir e ver cada família, cada paróquia incentivando as crianças, adolescentes e jovens a darem resposta e prontos para serem enviados.

A messe é grande mas os trabalhadores são poucos. São poucos porque muitos não respondem e nem querem ser enviados.
São poucos porque ninguém quer assumir mais a missão de rezar pelas vocações específicas.
Se na tua família não há gente que pode dar resposta ao chamado do Senhor, então apoie com orações, bens materiais e acompanhamento de jovens como padrinho ou madrinha.

É já tempo de ouvir, deixar tudo, responder e seguir o Mestre.
É urgente que haja gente disponível para a missão.
É urgente que haja mudança de comportamento para que ninguém atrapalhe aos poucos que querem seguir adiante.

Reze, acompanhe, doe sua vida e seus bens para que a messe tenha sempre discípulos e missionários.

Coragem! Siga em frente! Vinde e vede que o Senhor te chama!

*Oração pessoal*

*Senhor, mostrai-me o caminho para que eu dê a melhor resposta ao Teu chamado. Amém.*

Servo inútil, Pe. Fonseca Kwiriwi, CP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

shares