DÉCIMO PRIMEIRO DOMINGO DO TEMPO COMUM B

DÉCIMO PRIMEIRO DOMINGO DO TEMPO COMUM B

LITURGIA DA PALAVRA

Primeira Leitura: Ezequiel 17,22-24

Salmo 91 (92),

Segunda Leitura: 2 Coríntios 5,6-10

Evangelho: Marcos 4,26-34

 

Tema: Olhar a Deus e a vida com confiança e esperança

A Liturgia da Palavra convida-nos a olhar para a vida e para o mundo com confiança e esperança. Deus, fiel ao seu plano de salvação, continua, hoje como sempre, a conduzir a história humana para uma meta de vida plena e de felicidade sem fim.

Ezequiel, na primeira leitura, assegura ao Povo de Deus, exilado na Babilónia, que Deus não esqueceu a Aliança, nem as promessas que fez no passado. Apesar de todos desafios e sofrimento, Israel deve continuar a confiar nesse Deus que é fiel e que não desistirá nunca de oferecer ao seu Povo um futuro de tranquilidade, de justiça e de paz para sempre.

Paulo, na segunda leitura, lembra-nos que a vida nesta terra, marcada por coisas transitórias, deve ser vivida como uma peregrinação ao encontro de Deus, da vida definitiva. O cristão deve estar consciente de que o Reino de Deus como consta no Evangelho de hoje, só atingirá a sua plena maturação no final dos tempos, quando todos os homens e mulheres se sentarem à mesa de Deus e receberem de Deus a vida que não acaba. Neste contexto, o imediatismo e a vida descartável a que somos impostos deve ser defendido e resistido na esperança de que Deus vos concederá paz, isto é, toda riqueza do céu, no tempo oportuno. Que haja resiliência em todas as circunstâncias que põem em risco o Reino de Deus.

Marcos apresenta a catequese de Jesus sobre o Reino de Deus que é um projecto que, avaliado à luz da lógica humana, pode parecer condenado ao fracasso; mas ele encerra em si o dinamismo de Deus e acabará por chegar a todo o mundo e a todos os corações. Também nos dias actuais, todos acontecimentos na Igreja e contra a Igreja parecem definir o rumo de fracasso. No entanto, a experiência da Igreja Primitiva deve ser exemplo no tempo presente, na actualidade, para superarmos cada obstáculo, cada desafio, confiantes no Mestre.

Deus, autor da aliança, não esqueceu a promessa feita, por intermédio dos profetas. Hoje são muitos profetas que se entregam ao serviço do Reino para fazer chegar a mensagem de Deus nos corações de cada pessoa.

O projecto de salvação que Deus tem para a humanidade revela-se no anúncio do Reino, feito por Jesus de Nazaré. Nas suas palavras, nos seus gestos, Jesus propôs um caminho novo, uma nova realidade; lançou a semente da transformação dos corações, das mentes e das vontades para que a vida dos homens e das sociedades se construa de acordo com os esquemas de Deus. Essa semente não foi lançada em vão: está entre nós e cresce por acção de Deus. A semente do Reino de Deus deve ser lançada em cada realidade onde o cristão se encontra hoje. Não deve haver preguiça de se semear pensando que Deus não irá cuidá-la. A nossa missão é semear. Vamos deixar o resto nas mãos de Deus confiando a sua intervenção poderosa na hora certa.

A outra atitude importante é acolhimento da semente e deixar que Deus realize a sua acção. E como discípulos de Jesus, temos de continuar a lançar essa semente do Reino, a fim de que ela encontre lugar no coração de cada homem e de cada mulher da nossa aldeia, cidade, sociedade e nação.

 

Compromisso de vida:

Meditar a Palavra de Deus

Encontrar uma pessoa nova ou estranha para partilhar com ela a Palavra de Deus

Cultivar na vida o espírito missionário.

Viver plenamente o ensinamento da Palavra de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

shares