XXV – DOMINGO DO TEMPO COMUM B

XXV – DOMINGO DO TEMPO COMUM B

19/09/2021: LITURGIA DA PALAVRA

Primeira leitura: Sab 2,12.17-20

Salmo: Salmo 53 (54)

Segunda leitura: Tg 3,1-4,10

Evangelho: Mc 9,30-37

Tema: ESCOLHER A SABEDORIA DE DEUS PARA VENCER OS MALES DO MUNDO

Neste Domingo, a Palavra de Deus nos convida a prescindir da “sabedoria do mundo” e a escolher a “sabedoria de Deus”. Só a “sabedoria de Deus” dará ao homem o acesso à vida plena, à felicidade sem fim.

São Marcos apresenta-nos uma história de confronto entre a “sabedoria de Deus” e a “sabedoria do mundo”. Jesus, imbuído da lógica de Deus, está disposto a aceitar o projecto do Pai e a fazer da sua vida um dom de amor aos homens; os discípulos, imbuídos da lógica do mundo, não têm dificuldade em entender essa opção e em comprometer-se com esse projecto. Jesus avisa-os, contudo, de que só há lugar na comunidade cristã para quem escuta os desafios de Deus e aceita fazer da vida um serviço aos irmãos, particularmente aos humildes, aos pequenos, aos pobres.

Tiago exorta os crentes a viverem de acordo com a “sabedoria de Deus”, pois só ela pode conduzir o homem ao encontro da vida plena. Ao contrário, uma vida conduzida segundo os critérios da “sabedoria do mundo” irá gerar violência, divisões, conflitos, infelicidade, morte.

O Baptismo é, para todos os crentes, o momento da opção por Cristo e pela proposta de vida nova que Ele veio apresentar; é o momento em que os crentes escolhem a “sabedoria de Deus” e passam a conduzir a sua vida pelos critérios de Deus. A partir desse momento, a vida dos crentes deve ser expressão da vida de Deus, dos valores de Deus, do amor de Deus. Num mundo que se constrói, tantas vezes, à margem de Deus, os cristãos devem ser os rostos dessa vida nova que Deus quer oferecer ao mundo. Estou consciente desta realidade? Tenho vivido de forma coerente com os compromissos que assumi no dia do meu Baptismo? Os valores que conduzem a minha vida são os valores que brotam da “sabedoria de Deus”?

Como cristãos temos que aceitar ser perseguidos porque remamos contra as ideologias que dividem a sociedade. Sendo assim, teremos escolhido a sabedoria de Deus.

A primeira leitura avisa os crentes de que escolher a “sabedoria de Deus” provocará o ódio do mundo. Contudo, o sofrimento não pode desanimar os que escolhem a “sabedoria de Deus”: a perseguição é a consequência natural da sua coerência de vida. A coerência, a honestidade, a fidelidade dos “justos” constituem um permanente espinho que magoa os “ímpios” e que não os deixa sentirem-se em paz com a sua consciência. Por isso os justos são perseguidos.

Mesmo com obrigação de escolhermos partidos que propagam ódio e violência, a postura do cristão é recusar e denunciar essa atitude contra o bem-estar do povo.

A atitude dos discípulos mostra a dificuldade que os homens têm em entender e acolher a lógica de Deus. Contudo, a reacção de Jesus diante de tudo isto é clara: quem quer seguir Jesus tem de mudar a mentalidade, os esquemas de pensamento, os valores egoístas e abrir o coração à vontade de Deus, às propostas de Deus, aos desafios de Deus. Não é possível fazer parte da comunidade de Jesus, se não estivermos dispostos a realizar este processo.

O Evangelho de hoje convida-nos a repensar a nossa forma de nos situarmos, quer na sociedade, quer dentro da própria comunidade cristã. A instrução de Jesus aos discípulos que o Evangelho deste domingo nos apresenta é uma denúncia dos jogos de poder, das tentativas de domínio sobre os irmãos, dos sonhos de grandeza, das manobras para conquistar honras e privilégios, da busca desenfreada de títulos, da caça às posições de prestígio.

 

Compromisso pessoal:

Escolher, com ajuda do Espírito Santo, a sabedoria de Deus

Assumir o compromisso cristão de defender o bem

Lutar por um mundo justo e fraterno.

Fazer sempre a vontade de Deus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

shares