Queridos filhos Professores e Educadores Católicos

Queridos filhos Professores e Educadores Católicos
«Toda a Escritura inspirada por Deus,
é útil para ensinar, persuadir, corrigir e formar segundo a justiça.
Assim, o homem de Deus será perfeito,
bem preparado para todas as boas obras» (2 Tm 3, 10-17).

Queridos filhos Professores e Educadores Católicos

É com o coração cheio de zelo que vos dirigimos estas palavras de conforto e admiração para vos saudar efusivamente e transmitir o calor do fogo da amizade que deflagra da inadiável missão que ecoa imperiosamente “ide, ensinai todas as nações” (Mt 28,19).

Na nossa saudação de 2021 pela ocasião do mês do Professor, apresentamos a grave urgência da missão para qual Cristo vos chama com a proposta de caminhar com os pés no chão e com os olhos no Ceu. Para este ano 2022, gostaríamos de vos saudar convidando-vos para uma reflexão do tema servido pela Sua Santidade Papa Francisco pela ocasião do dia mundial da Paz e achamos que é perfeitamente aplicável a nossa realidade educativa: Diálogo entre as gerações, educação e trabalho: instrumentos para construir uma paz duradoura.” [1] O Pontífice lembra-nos que o Diálogo entre as gerações, a educação e o trabalho são as três estradas que levam a um único caminho que é a uma paz duradoura. Uma paz que nos parece cada vez mais distante, a olhar pela natureza das notícias do dia: guerra e morte na Ucrania; mal estar na Russia e no Irão; guerra e morte em Cabo Delgado e Nampula…portanto, apesar de múltiplos esforços, aumenta o ruído ensurdecedor de conflitos, ao mesmo tempo que ganham espaço doenças de proporções pandêmicas, pioram os efeitos das alterações climáticas e da degradação ambiental, agrava-se o drama da fome e da sede e continua a predominar um modelo econômico mais baseado no individualismo.[2]

Amados Professores e Educadores Católicos, a realidade que se nos apresenta é o fruto do nosso distanciamento moral e ético; distanciamento entre os homens; distanciamento entre gerações e distanciamento dos homens com Deus. É urgente tomarmos a pedagogia de Deus como modelo de Educação.

O Papa Francisco na sua mensagem pela ocasião do 56º aniversario da comunicação social traça o caminho para a prática dessa pedagogia: escutar com o ouvido do coração. Na visão bíblica, escutar não é apenas uma percepção acústica, mas uma relação dialogal entre Deus e a humanidade, “shema’ Israel – escuta, Israel” (Dt 6, 4). Deus ensina à humanidade e esta escuta. Portanto, de um lado, Deus Se revela comunicando-Se livremente, e, por outro, a humanidade, a quem é pedida para sintonizar-se, colocar-se à escuta, numa aliança de amor, para que possa tornar-se plenamente aquilo que é: imagem e semelhança de Deus na sua capacidade de ouvir, acolher, dar espaço ao outro.[3]

Professores e educadores católicos que sois, pertence a vós o cultivo do espírito de diálogo e escuta entre os professores, depois entre os professores e alunos imbuídos de caridade dando testemunho de Cristo, Mestre Único tanto na vida como na doutrina (Gravissimum Educationis nº9). Portanto, o primeiro passo para uma paz duradoura segundo o Pontífice é Diálogo entre as gerações, o que significa ouvir-se um ao outro; confrontar posições; pôr-se de acordo e caminhar juntos. O segundo passo é a educação, como fator de liberdade, responsabilidade e desenvolvimento. É por que o Papa insiste que Instrução e educação são os alicerces de uma sociedade coesa, civil, capaz de gerar esperança, riqueza e progresso. Mas também critica as tendências da sociedade atual de aumentar de forma exorbitante os investimentos para assuntos militares em detrimento do campo da educação. Finalmente vem o terceiro passo que é o trabalho. O sumo Pontífice entende que trabalho digno é um direito para todos, e não pode ser entendido como punição ou um favor para alguns. Na visão do Para Francisco, é preciso unir ideias e esforços que levem também a uma renovada responsabilidade social para que o lucro não seja o único critério-guia.[4]

Filhos amados, com grande riqueza, Outubro em que se celebra o vosso dia é peculiarmente o mês dedicado à Maria. Por isso convido-vos a confiar as vossas intenções à Mãe do Salvador, pois saberá encaminhar na devida hora ao Seu Filho.

DOM ALBERTO, bispo de Nacala

 

Nacala, Outubro de 2022

[1] https//www.vaticannews.va./pt/papa/news/2021-12/papa-francisco-mensagem-dia-mundial-paz-dialogo-trabalho.html

[2] https//www.vaticannews.va./pt/papa/news/2021-12/papa-francisco-mensagem-dia-mundial-paz-dialogo-trabalho.html

[3] Mensagem Do Papa Francisco Para o LVI Dia Mundial Das Comunicações Sociais, 24 de janeiro de 2022, São João de Latrão, Roma, na Memória de São Francisco de Sales,

[4] Mensagem Do Papa Francisco Para o LVI Dia Mundial Das Comunicações Sociais, 24 de janeiro de 2022, São João de Latrão, Roma, na Memória de São Francisco de Sales,

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *