DESLOCADOS DE CABO DELGADO: CEM efectua visita de solidariedade

DESLOCADOS DE CABO DELGADO: CEM efectua visita de solidariedade

Uma comissão da Conferencia Episcopal de Moçambique (CEM), composta por Dom Inácio Saúre, Arcebispo de Nampula e Presidente da CEM, Dom Cláudio dalla Zuane, Arcebispo da Beira, Dom Alberto Vera, Bispo de Nacala e Dom Osório, Bispo auxiliar de Maputo, manteve vários encontros, no ultimo domingo (02.06.24), com as religiosas/os envolvidos no acolhimento dos deslocados de Cabo Delgado com vista a uma visita de solidariedade à diocese de Pemba e seu bispo Dom Juliasse.

A visita de solidariedade para a diocese de Pemba:

  • É expressão de preocupação que a CEM tem, para a difícil e trágica situação de sofrimento que o conflito está a provocar na povoação local.
  • É sinal de denúncia para a opinião pública, sobre o conflito interno que não parece ver uma solução eminente, apesar de todos os esforços que foram postos em campo.
  • É tomada de consciência que o acolhimento e o cuidado dos deslocados internos estão a conhecer dificuldades de gestão com os órgãos competentes do estado.
  • É renovar a disponibilidade da Igreja a trabalhar a todo campo para o acolhimento e o serviço básico dos deslocados, como tem vindo a fazer desde as primeiras horas, apesar das dificuldades deste últimos tempos de colaboração com as estruturas locais encarregadas da gestão dos campos de acolhimento.
  • Enfim, é proporcionar todos os meios uteis para que as comunidades cristãs possam continuar as suas actividades em prol da vida espiritual de cada um.

Veja e leia a baixo, a mensagem que a Paróquia de Chipene (Memba) apresentou no domingo passado (2/6/24) durante a visita do Bispo de Nacala, Dom Alberto e do Arcebispo da Beira, Dom Cláudio na cerimónia de apresentação do novo padre que irá servir as comunidades paroquiais.

Mensagem alusiva à visita do Sr. Bispo de Nacala
à paróquia de São Pedro do Lúrio-Chipene
para introduzir o novo Padre, Albertino Antonio

Reverendíssimo Dom Alberto Vera Arejula, Bispo da Diocese de Nacala,

Reverendíssimo Dom Cláudio Dalla Zuanna, Arcebispo da Arquidiocese da Beira,

Reverendo Padre Lorenzo Barro, Pároco da Paroquia de São Pedro do Lúrio –Chipene,

Reverendo Padre Albertino António,

Excelentíssimo Senhor Chefe do Posto Administrativo de Chipene,

Estimadas Autoridades Civis presentes,

Estimados Líderes Comunitários e Religiosos,

Caríssimos Senhoras e Senhores Participantes

É com grande alegria que os cristãos desta paróquia recebem a visita dos Bispos. Queremos saudar e desejar boas vindas.

De igual modo, é com grande orgulho e honra que pela primeira vez, recebemos um padre oriundo desta diocese para viver connosco, isto nos deixa felizes e consolados.

Esta paróquia é constituída de 7 regiões, 29 zonas e mais de140 comunidades. Os cristãos em particular e o povo em geral, nestes três (3) últimos anos não viveram tranquilos, por causa da insegurança e conflitos movidos por grupos de insurgentes baseados em Cabo Delgado.

No dia 5 de Setembro de 2022, os insurgentes chegaram na comunidade de Nacutho, assassinando um cristão, de nome Francisco Massaya, ao pé da capela. No dia seguinte, eles chegaram na área de Chipene, onde também assassinaram a arma branca dois (2) homens, um cristão de nome Marcelino dos Santos Varinaya, e um muçulmano de nome Sualehe Xavier.

Após disso, dirigiram-se no hospital, onde vandalizaram as portas e incendiaram todas as enfermarias, incluído a maternidade. Depois, entraram na missão e assassinaram a irmã Maria de Coppi, missionária Comboniana: ela viveu 60 anos em Moçambique servindo o evangelho, amando o povo macua com profunda ternura e fidelidade. Acreditamos que o seu testemunho e a sua fé não serão esquecidos por nós: ela foi catequista e professora que não desistiu de anunciar o evangelho em todos tempos difíceis da guerra, da perseguição religiosa e nos lugares aonde ainda o evangelho não tinha chegado.

Em seguida foram vandalizar a igreja, incendiaram a casa das irmãs, o lar feminino, o lar masculino, a casa dos padres e a casa onde a irmã assistia crianças órfãs e desnutridas e finalmente queimaram dois carros dos padres. Os factos ocorreram em horas noturnas e no nosso posto administrativo de Chipene se encontrava a nossa força local.

No terceiro dia, os insurgentes passaram em Nantaca e encontraram um homem, cujo nome era Silvano Valentim. Perguntaram-lhe qual religião professava e em resposta ele disse que era cristão. Ele estava junto à tia, mandaram-lhe sentar e foi degolado sobre as pernas da tia.

Depois se dirigiram para Canyunya-Naheco onde incendiaram 190 casas, inclusive a nossa capela da Igreja católica e a escola.

O dia seguinte chegaram em Tataulo e encontraram a população: os terroristas pediram ao povo presente de dividirem-se em grupos, homens e mulheres, cristãos e muçulmanos. Ao manifestar-se com coragem os primeiros três cristãos, foram amarrados e degolados. Enquanto matavam o primeiro, de nome Francisco Rimo, baptizado e casado na Igreja com nove filhos, lhe puseram no peito o livro da liturgia (Masu Apwiya). Ao segundo conhecido por Celestino Santos Mitupiya, Baptizado, casado na igreja, pai de sete (7) filhos e, catequista puseram-lhe no peito a Bíblia. O terceiro, de nome Silva António, era catecúmeno pai de dois (2) filhos, lhe puseram o catecismo da 3ª etapa.

Sendo estes homens e outros que anteriormente afirmamos que foram mortos em ódio a fé, acreditamos que são os nossos mártires que não recusaram testemunhar a própria fé ate entregar a própria vida com coragem.

Durante este período de dor e angústia para a diocese de Nacala e a paróquia de Chipene em particular, agradecemos ao bispo e ao nosso pároco que sempre estiveram connosco a fortificar a nossa fé.

Queremos mostrar a nossa profunda gratidão ao pároco Lorenzo pela coragem e paciência. Com ele vimos o futuro tao brilhante da nossa paróquia: não só na parte espiritual, mas também na formação dos jovens. A paróquia pede ao Bispo auxílio para reabilitação da casa das irmãs, dos dois lares, e ainda pedimos a presença das irmãs.

Finalmente, estendemos os nossos melhores agradecimentos a vossa reverência senhores bispos e os dirigentes e a todos fiéis, por terem deixado os vossos haveres para juntar-se com esta assembleia cristã. Mais uma vez sentimo-nos honrados pela presença física e desejamos um bom regresso e que a paz de Deus esteja connosco.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *