Igualdade de género no trabalho ainda é um desafio

Igualdade de género no trabalho ainda é um desafio

A igualdade de género no Mercado de trabalho, principalmente para as mulheres, encontra ainda muitas dificuldades apesar de existir um número menor de mulheres integradas no mercado de trabalho. A maioria continua a enfrentar muitas dificuldades e descriminação para se manter no mercado de trabalho.

A igualdade de género é apresentada como um conceito que visa garantir o direito e oportunidade iguais a todos, sejam homens assim como mulheres. Com isso podemos observar que é um dos pré-requisitos para tentar combater a desigualdade de género contra as mulheres no trabalho e ter uma sociedade mais justa para todos.

Com o andar do tempo podemos notar que a sociedade se encontra mais evoluídas e as mulheres assumem, apesar de uma forma lenta e gradual, cargos de maior importância, tanto na sociedade, como no mercado de trabalho.

Diversidade cultural

A cultura é composta por um conjunto de valores e comportamentos pertencentes a um grupo de pessoas, para além dos valores e comportamentos individuais. A diversidade cultural origina diferentes interpretações, ou seja, esta pode ser interpretada tanto de forma positiva como de forma negativa. A diversidade cultural no trabalho surge através de várias dimensões que se influenciam através da raça, género idade, religião, culturas, crenças, atitudes, valores, sentimentos, dentre outras existentes.

Igualdade do género

A igualdade do género, em um sentido mais amplo, é vista como a liberdade que todo o ser humano tem para desenvolver as suas capacidades pessoais e realizar acções independentemente do papel atribuído, seja para homens assim como para mulheres. Com isso, a igualdade do género se enquadra no mercado de trabalho no qual todos são livres para realizar as suas actividades sem descriminação de ninguém.

A igualdade do género no trabalho vem para tentar minimizar ao máximo a desvalorização da mulher, dando uma oportunidade de participação democrática da mulher no mercado de trabalho, trabalhando para que haja reconhecimento, respeito pelos direitos humanos das mulheres, seja na vida pública assim como política.

Integração da mulher

Nos últimos anos podemos observar que apesar de tudo, a mulher tem assumidoum papel de maior importância no mercado de trabalho. No entanto, as desigualdades persistem nos locais de trabalho entre os géneros. Pode-se notar que o índice de mulheres com a participação no ensino superior tem aumentado significativamente, em comparação com os homens, o que contribui, também, para a mudança dos papéis tradicionalmente atribuídos às mulheres.

O Banco Mundial, no seu relatório 2011, sugeriu a necessidade de combater urgentemente as desigualdades existentes entre os homens e mulheres, de forma a que estas possam progredir, de igual modo que os homens, e contribuir para o aumento da produtividade das organizações e da competitividade das comunidades.

Desafios

Com o andar do tempo as mulheres já possuem responsabilidades superiores dentro das organizações, ou seja, a aceitação visa melhorar a cada dia que passas, pois já é notável o crescente número de mulheres desempenhando funções que antes eram atribuídas apenas aos homens.

Porém, alguns dos desafios que as mulheres encontram dentro das organizações são: falta de reconhecimento durante a execução das funções atribuídas; assédios que ocorrem no local de trabalho; salários baixos em relação aos homens; falta de atribuição de funções relevantes. 

Barreiras   

Baixo índice de líderes mulheres, correm mais riscos de serem demitidas em relação aos homens; poucas vezes os líderes seleccionam mulheres para treinamentos e capacitação para obtenção de novos conhecimentos.

Mulheres que quebram estereótipos

Costuma-se dizer que: as mulheres são menos capazes de realizar funções em áreas técnicas, as pessoas com deficiência são consideradas incapazes e os idosos são fracos, estas afirmações são estereótipos.

Na realidade, as mulheres são capazes de realizar diferentes funções e assumir várias responsabilidades assim como os homens; as pessoas com deficiência são capazes de realizar muitas actividades e muita das vezes têm habilidades valiosas; os idosos têm uma experiência de vida valiosa e muita das vezes são activos e produtivos em suas actividades.

Portanto a diversidade de género é considerada como a força que uma mulher possui, e não fraqueza para alcançar os seus objectivos. Os estereótipos são considerados prejudicais e limitantes. Com isso a diversidade apresenta diferentes perspectivas e soluções criativas para a resolução de certos conflitos.

Contudo, é notável o papel da educação neste processo estereótipo, onde a educação é fundamental na promoção da diversidade e no combate ao preconceito dentro das organizações; onde é através da educação que aprendemos a respeitar e valorizar as diferenças de cada um para a construção de uma sociedade mais justa. (Por: Alice Mauindo)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *