Crescente índice de uniões prematuras e mutilação genital feminina preocupa a comunidade internacional

Crescente índice de uniões prematuras e mutilação genital feminina preocupa a comunidade internacional

Comunidade internacional preocupada com crescente índice de uniões prematuras e mutilações genitais

As uniões prematuras, casamento forçado e mutilações genitais preocupam organizações internacionais. Mais de 650 milhões de mulheres no mundo casaram antes dos dezoito anos, enquanto 230 milhões sofreram mutilação genital.

Estas práticas são generalizadas em muitos países, especialmente na África Subsaariana, no Médio Oriente e no Sudeste Asiático.

Casos de casamentos forçados e a mutilação genital feminina registaram um aumento de 15% desde 2016. São dados oficiais, fornecidos pela Unicef citado por Vatican News, mas que descrevem apenas parcialmente a gravidade dos dois fenómenos.

Em Moçambique a Parceria Global para Acabar com a União Prematura e estão unidos com o Governo no apelo para acções decisivas com vista a acabar com as uniões prematuras em todo o país. Este compromisso é uma resposta à contínuas práticas nocivas e inaceitáveis que violam os direitos e o bem-estar das raparigas em toda a sua diversidade. (Por: Cremildo Alexandre)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *